Quinta-feira, 12 de Junho de 2008

Dos dias dos namorados de sol quente e praia.

Dos dias de chuvas e trovões agarrados na cama.

De preguiças intermináveis, de vontade de não fala ao telefone.

De brigas, de pazes, de cochilos abraçados no fim da tarde.

De jantares especiais.

De preparar aquela comidinha preferida, só porque você sabe que é quarta feira e chegará cansado em casa.

De quando se esta triste, e recebe um abraço sem palavras.

De todas as dificuldades da vida.

De festas.

Dos infinitos “bom dia” com a cara ainda amassada do sono.

Dos soninhos no seu colo enquanto passa o filme.

Dos carinhos escondidos por baixo da mesa.

Do eu te amo, sem você esperar, reafirmando o sentimento

Das ligações só pra ouvir a voz do seu amor.

De quando se esta em um transito infernal e se lembra do ser amado e sai um grande sorriso.

De convites pra almoços no meio do expediente.

De comprar jujuba no meio da rua pra levar pra casa,  porque você sabe que ele ama.

De preparar um café da manha depois de uma noite especial

Do gosto das lagrimas trocadas.

Das risadas gostosas de por do sol com sabor de noite agarradinho.

De quando toca a musica preferida no radio.

Do cheiro dele no seu corpo.

De encontrar um recadinho secreto no meio de suas coisas.

De receber um sms no meio do seu trabalho e esquecer de tudo.

Da saudade interminável, com vontade de voltar pra casa logo.

 

Simplesmente porque todos os meus dias são “dia dos namorados” que de todos os dias de manha ate a noite eu me lembro que o meu amor não tem datas, que eu comemoro todos os dias, com as singelas formas que o amor possui de nos fazer rir e chorar, de querer sempre mais.

 

Do dia que todos os dias são únicos e mágicos.

Da noite quente de verão, onde se revela o amante.

Dos carinhos, de beijos, de romance, de suor, das roupas jogadas no chão, das coisas quebradas na sala quando não se consegue chegar ate o quarto.

 

De todos os meus dias especiais e flores e uma aquarela infinita das cores que meu céu possui.

Dos dias que eu digo eu te amo, dos dias que eu recebo um carinho e um afago sem palavras, de quando eu preciso de um ouvinte.

 

São por essas e por muitas outras que se namora pra sempre, renovando o namoro a cada manha, temperando, mudando... afinal o amor não tem fim, mas as datas sim.

 

 

Amo-te, e de tanto te amar, não sei viver só!


sinto-me Feliz

publicado por renovatio às 20:18 | link do post | comentar | favorito

posts recentes

Alvorada

Perdi meu remoto controle

For Sale!

Quem?

Chá, teorias e filmes

Nuvens....

Trechos!

My life for rent!

Estudos de Semiótica Comp...

Take my hand

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds