Sábado, 21 de Junho de 2008

Estava eu sentado esperando o vôo atrasado e viajava por entre blogs, lia os textos e pensava de como nos tornamos íntimos de pessoas que não conhecemos, não fisicamente, mas conhecemos as suas dores, suas revoltas, lemos seus textos e poesias.

Ficamos felizes ao ver que ao menos um foi feliz e expressou isso em seu blog, sabemos o livro que estão lendo, de suas musicas preferidas, e construímos uma intimidade silenciosa, como se estivéssemos espiando, espionando a vida de alguém que mal sabemos o rosto, não conhecemos a sua fala, seu andar. Mas estamos ali atentos, e sendo vigiado da mesma forma.

 

Vez por outra tomamos emprestada parte de seus textos, poesias que nos tocam, imagens que pode nos pode ser útil em publicações próprias, será que ficam chateados com esses pequenos empréstimos? Incomoda? Ou pelo contrario se sentem felizes ao ver que alguém gostou e divulga seu trabalho?

 

As vezes me pego sorrindo pelo mesmo motivo que outro riu mas em tempos diferentes, como se a cena pudesse ser refeita, como se existisse um tempo paralelo, um tempo exclusivo aos leitores de blogs, o mesmo acontece com as tristezas as vezes as pego pra mim e as faço minhas propriedades! Mas sigo Assis lendo, assistindo e analisando a vida pelas lentes de outras pessoas. Modifico meus pontos de vista de acordo com analises de outros, gero discussões  internas provocadas pelos meus íntimos, distantes e desconhecidos amigos de blog.

 

O mais engraçado que me utilizo de um blog pra analisar outros blog, e falar o que eu sinto, afinal são tempos modernos, temos mais que divulgar o que pensamos, talvez seja ate uma forma de imortalidade, se eu morrer meu blog continuará?

 

Beijos aos que me são queridos e os desconhecidos também!

 

Mais um poema da Cecília Meireles que me cativou, retirado do seu livro Viagem

 

Criança

 

Cabecinha boa de menino triste,

De menino triste que sofre sozinho,

Que sozinho sofre, – e resiste.

 

Cabecinha boa de menino ausente,

Que de sofrer tanto se fez pensativo,

E não sabe mais o que sente...

 

Cabecinha boa de menino mudo

Que não teve nada, que não pediu

Nada,

Pelo medo de perder tudo.

 

Cabecinha boa de menino santo

Que do alto se inclina sobre a água do

Mundo  para mirar seu desencanto.

 

Para ver passar numa onda lenta e fria

A estrela perdida da felicidade

Que soube que não possuiria.

 


sinto-me
música Next to you - Bebel Gilberto

publicado por renovatio às 04:08 | link do post | comentar | favorito

posts recentes

Alvorada

Perdi meu remoto controle

For Sale!

Quem?

Chá, teorias e filmes

Nuvens....

Trechos!

My life for rent!

Estudos de Semiótica Comp...

Take my hand

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds