Quarta-feira, 23 de Abril de 2008

Ocupas todos os espaços
Que há em mim
Só me sobram
Pequenas frestas
Não me sufocas
Ao contrario
Protege-me com o peso da sua alma

Toma meu corpo
Como um cálice
Beba-me
Suga-me
Carrega-me dentro de ti.

Coma minha carne
Liberta-me lentamente
E quando só houver
A minha alma e meu amor
Tome-os
Não mais me pertencem
Pertence a ti
E contigo
Devem viver.

E quando se cansares
Ou quando outro amor
For-lhe ofertado
Devolva-me
Esse coração já cansado
E com um beijo calmo
Deixe-me em meu leito
Minha alma não retornará
Já não saberá viver
Sem a sua.


tags:

publicado por renovatio às 14:16 | link do post | comentar | favorito

posts recentes

Alvorada

Perdi meu remoto controle

For Sale!

Quem?

Chá, teorias e filmes

Nuvens....

Trechos!

My life for rent!

Estudos de Semiótica Comp...

Take my hand

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds