Terça-feira, 26.05.09

"A memória em si não é nada. Não é bonita nem feia, nem útil nem inútil. Ia a dizer que era o que se quiser, mas nem isso. É uma maneira de dar sentido ao que se vive. É uma coisa que fazemos. Em nome do que trazemos na alma, e por causa do amor, faz sentido fazê-la o melhor que podemos. Agora há alguém que seja capaz de me explicar porque é que eu não sou capaz de me lembrar da cara do meu Amor? A memória é uma coisa que não lembra ao diabo."

 

in Miguel Esteves Cardoso, "A Aventura da Memória"



publicado por renovatio às 05:33 | link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quinta-feira, 17.07.08

Hoje eu acordei com nítida sensação que eu me vi dormir a noite toda, esta tão clara na minha mente que posso ate descrever. Dormia aninhado entre as cobertas, com um semblante tranqüilo, confiante, um leve sorriso beijava meus lábios, cabelos levemente desorganizados, parecia ser ninado por algo invisível, seria eu mesmo quem ninava? Como seria possível eu lembrar? Mas eu estava lá lindo, tranqüilo, sereno, parecia que sonhava com campos de margaridas, nada parecia importar mais, ou parou de importar, a velocidade das coisas diminuíram no exato momento do meu sono. E eu ali, não cansava de me ver, acho que era a primeira vez em séculos que parava pra me observar, via todos os meus nuances. Era emocionante o simples fato de eu mesmo poder me dar um afago, um carinho pela face, um amor fraterno de mim para comigo.

Amanheceu e eu permaneci na cama, ainda no meio das cobertas, e o sorriso permanecia ali, uma felicidade me invadia, tomava conta de mim, se espalhava pelo meu sangue, e fazia meu coração bater de uma forma diferente. Ouvia musica bem baixinha que vinha do quarto da minha irmã, ela era suave, mas mesmo assim era percebida por mim, fiquei um segundo ali deitado ouvindo aquela canção que me lembrava a adolescência, lembre de pessoas e momentos vividos naquela canção, ri! E ri de coisas que não me lembrava mais. Resolvi finalmente levantar, mas o sorriso ainda ali, estampado, grudado, como se fosse uma tatuagem. A água quente que rolava pelo meu corpo me dava uma sensação tão boa de limpeza, de limpeza da alma, como se tudo estivesse sendo lavado ali naquele momento. Uma roupa bem bonita no corpo, cabelos delicadamente penteados, perfume e todo um preparativo ritualístico pro café da manha, pensei – isso tudo por café da manha? Afinal de contas eu mereço, quero estar diferente hoje, me sinto diferente.

Na mesa do café todos reunidos era uma família diferente da que eu tinha deixado na mesa do jantar, os rostos estavam diferentes, as coisas não eram as mesmas. As cores estavam diferentes, o céu de um azul intenso, arvores de vivo verde, e o amarelo do suco de laranja que mais me chamou atenção. Minha “diferença” foi notada por todos, com breves comentários sobre o que poderia ter acontecido, mas não havia descrição sobre nada, eu mesmo não sabia de nada. Como se tudo fosse pela primeira vez, fiquei ali sentado naquela mesa, de cores e odores, dos assuntos pela volta que me fascinavam, de um lindo bebê que se deliciava com um grande pedaço de bolo, que por sinal era delicioso. Toda a gente foi redescoberta, todos se perguntando sobre seus sonos, de como o vento bateu forte na noite, de como seriam seus dias, das noticias nos jornais, e aquele sorriso que ficava ali, e eu fazia questão de distribuí-lo para todos, afinal eu recebi de graça.

Ajudei a minha me e minha irmã a recolher as coisas do café, levando cuidadosamente a louça pra cozinha, e minha mãe lá linda, nunca tinha reparado na beleza dela, resolvi pegar a ultima dose de café antes de sair, e ela me pergunta – o que houve moço? Qual o motivo dessa diferença toda?. Não sabia explica e ela sabia disso, e logo pousei a xícara na bancada da cozinha e me apressei, ela cuidadosamente me deu um beijo e esticou minuciosamente o meu casaco, não recebia um beijo desses dela desde que era um miúdo, não sei se eu bloqueie em algum momento, se não dava a brecha necessária, mas com a minha diferença de hoje ele pode acontecer, e isso me fez mais feliz que nunca, retribui o beijo e como sempre faço questão de deixar claro, disse que a amava do tamanho do universo. Caminhando ate o carro notei três florzinhas, dessas que nascem em qualquer lugar, peguei as três e a presenteei cada um dos meus amores.

Na estrada ate a nova e breve ocupação, percebi o que tinha acontecido, notei o extraordinário, eu tinha reencontrado minha essência, tinha me notado, me redescoberto e permanecia feliz por isso. Percebi que não podia mais bancar o Jesus para os leprosos que eu mesmo inventava, que eu não podia levantar os mortos. Eu estava perdido antes mesmo de chegar aqui, e agora finalmente me reencontrei. Eu tinha amarrado todas as coisas que me impossibilitavam num baú, abri o mar com minhas mãos e o joguei, e me sinto bem por isso. Não podemos fica sem nos mesmos. Luiz Antonio levantou de um sono de esquecimento e agora esta aqui, percebido por ele mesmo, eu me conheci e gostei do que vi. Nada será como antes, todos já me conheciam menos eu mesmo.

Trechos para esse dia:

 

“That I would be loved even when I numb myself
That I would be good even when I am overwhelmed
That I would be loved even when I was fuming
That I would be good even if I was clinging”

 That I would be good – Alanis Morisset

“Your love is thick and it swallowed me whole
You're so much braver than I gave you credit for
That's not lip service

You are the bearer of unconditional things
You held your breath and the door for me
Thanks for your patience “

Head over Feet – Alanis Morisset

“Sometimes the system goes on the blink
And the whole thing turns out wrong
You might not make it back and you know
That you could be well oh that strong
And I'm not wrong”

Bad Day – Daniel Powter

“While my heart is a shield
And I won't let it down
While I am so afraid to fail
So I won't even try
Well how can I say I'm alive?

But if my life is for rent
And I don't learn to buy
Well I deserve nothing more than I get
Cos nothing I have is truly mine”

Life for Rent – Dido

” And I won’t go, I won’t sleep, I can’t breathe
Until you’re resting here with me
And I won’t leave, and I can’t hide, I cannot be
Until you’re resting here with me”

Here with me – Dido

Tem muitas outras musicas que me acompanharam nesse dia de felicidade mas deixo isso pra lá, e coloco só as que me acompanharam durante a escrita desse texto.

 


sinto-me

publicado por renovatio às 06:06 | link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 08.07.08

Hoje eu fui a uma loja, dessas que vendem desde livros, Cds ate produtos de informática, de tudo você encontra, adoro ficar vagando por entre os corredores, por entre as seções literatura portuguesa, literatura estrangeira, ate pelas seções de direito eu passo, parece um ritual, não toco em nenhum exemplar na primeira passada, deixo que os livros notem minha presença, na segunda passada eu olho pra eles, vejo suas cores, suas capas, espero pacientemente que um livro me pegue pelo braço, se jogue em cima de mim. Temos que estar prontos paras ler os livros, não podemos forçar um leitura, ela deve correr macia e calma, como uma conversa com um amigo querido em um café nebuloso pelos charutos e conhaques.

Separei uns títulos que eu precisava levar, itens de urgência, uma gramática da língua portuguesa (português de Portugal), um dicionário de português (também de Portugal) e um dicionário de latim, que não achei é claro, mas ainda tenho sebos que podem me salvar (que são sempre um bom amigo em coisas que não se encontram em grandes redes), resolvi levar alguns títulos de literatura e poesia, mas não os escolhi, fui escolhido por eles, com a cesta enchendo de títulos necessários e outros companheiros que insistiam em ser lidos, levei lápis, canetas, e papel, o velho papel que amo tanto, do barulho e cheiro do grafite passando pelas suas fibras e revelando o poder da escrita e desenhos.

Depois de decidir que não levaria mais nada, resolvi passar pela seção de Cds e DVDs, afinal ninguém vive sem musica, pelo menos eu não vivo sem, sempre tem algo rolando na vitrola, e ao fundo rolava jazz que eu amo, fiquei ouvindo aquela musica e viajando literalmente ou seria literariamente? Não sei mas fiquei ali, de repente ouço uma voz tímida a chamar Luiz, não dei atenção já que grande parte dos portugueses se chamam Luis, Manoel, Joaquim ou um misto de todos esses nomes. Continuei a minha busca por uma musica nova e agradável, eis que uma mão segura meu braço e pergunta, Luiz Antonio? Sim sou eu! E a voz e o rosto pergunta novamente, não lembra de mim? É claro que eu não lembrava da criatura, e tentava ganhar tempo fazendo cara de simpático, mas decidi confessar que não lembrava mesmo, e a pessoa começou a desfiar o rosário, sou eu Alex estudei contigo em 1922, nossa fazia tanto tempo que não tinha reconhecido a pessoa, mas como ele tinha me reconhecido? Mas logo soltou, nossa você não mudou nada! Sorte eu ainda ter a mesma cara que eu tinha aos 10 anos de idade, acho que o tempo e as leis da natureza estão sendo muito gentis comigo.

Aceitei o convite pra um café que ficava ali mesmo no meio dos Cds, e conversa vai e conversa vem, olhei para o telão logo acima da minha cabeça e roubou minha atenção imediatamente, onde passava um Clip muito agradável, uma voz suave mas ao mesmo tempo notável, e o lugar onde se passava o Clip era o Rio de janeiro, claro que imediatamente pousei a xícara, e fiquei a observar... todos os lugares onde eu passei com uma pessoa era mostrado, mas uma coisa me chamou mais atenção, uma livraria/sebo situada na rua do rosário, onde existe um charmoso bistrô, com cadeiras nas ruas, imediatamente o falastrão chato que estava a minha frente desapareceu e eu imediatamente soltei aqueles sorrisos bobos, desses que só soltamos quando estamos apaixonados e lembramos do ser amado. Me lembrei de como aquele anoitecer foi o mais agradável que uma pessoa pode ter, lembre de todos os momentos passados naquelas ruas... nossa logo paguei o café e comprei o Cd e fico ate agora ouvindo a musica....

 

Pra pessoa que foi lembrada nessa canção só tenho uma coisa a dizer: “te amo”

Vai a letrinha!

 

 

P.D.A. (We Just Don't Care)

John Legend

 

Let's go to the park

I wanna kiss you underneath the stars

Maybe we'll go too far

We just don't care

We just don't care

We just don't care

 

You know I love it when you loving me

Sometimes it's better when it's publicly

I'm not ashamed I don't care who sees

Us hugging & kissing a love exhibition Oh

 

We'll rendezvous out on the fire escape

I'd like to set off an alarm today

The love emergency don't make me wait

Just follow I'll lead you

I urgently need you

 

Let's go to the park

I wanna kiss you underneath the stars

Maybe we'll go too far

We just don't care

We just don't care

We just don't

 

Let's make love, let's go somewhere they might discover us

Let's get lost in lust

We just don't care

We just don't care

We just don't care

 

I see you closing down the restaurant

Let's sneak and do it when your boss is gone

Everybody's leaving we'll have some fun

Oh maybe it's wrong but you turning me on

Ooh, we'll take a visit to your Mama's house

Creep to the bedroom while your Mama's out

Maybe she'll hear it when we scream and shout

But we'll keep it rocking until she comes knocking

 

Let's go to the park

I wanna kiss you underneath the stars

Maybe we'll go too far

We just don't care

We just don't care

We just don't

 

Let's make love, let's go somewhere they might discover us

Let's get lost in lust

We just don't care

We just don't care

We just don't care

 

If we keep up all this fooling around

We'll be the talk of the town

I'll tell the world I'm in love any time

Let's open the blinds 'cause we really don't mind

 

Oh I don't care about propriety

Let's break the rules, ignore society

Maybe our neighbors might spy it's true

So what if they watch when we do what we do

 

Oh, let's go to the park

I wanna kiss you underneath the stars

Maybe we'll go too far

We just don't care

We just don't care

We just don't

 


sinto-me
música P.D.A. (We Just Don't Care) - John Legend

publicado por renovatio às 02:26 | link do post | comentar | favorito

Sábado, 05.07.08

Só o vinho produzido na Região Demarcada do Douro, respeitando normas de produção e envelhecimento rigorosamente controladas, pode utilizar a denominação "Vinho do Porto". 

Durante o seu processo de envelhecimento, o vinho é submetido a provas de controlo de qualidade, quer analítica quer sensorial, efectuadas pelos Laboratórios e Câmara de Provadores do Instituto do Vinho do Porto, um dos organismos públicos mais antigos e prestigiados de Portugal. Esta entidade tem como principal missão o controlo oficial e a defesa do prestígio do Vinho do Porto bem como a sua promoção a nível mundial. Apenas os vinhos que cumprem os exigentes critérios de qualidade estabelecidos têm o direito de usar o selo de garantia emitido pelo Instituto do Vinho do Porto.

 

Vinhos do Porto com Data de Colheita 
Neste grupo distinguem-se os Vinhos do Porto que são envelhecidos em madeira dos que, após um estágio relativamente curto em casco, prosseguem o envelhecimento em garrafa. 

Vintage
- O Vintage é uma preciosidade. Depois de permanecer dois anos em contacto com a madeira, prossegue o seu lento envelhecimento em garrafa ao abrigo do ar e da luz. Pouco a 
pouco, o vinho melhora consideravelmente as suas características, desenvolvendo o seu "bouquet". O rótulo, além de indicar a data de colheita, tem que referir o ano do engarrafamento. Nesta categoria incluem-se os chamados "Vintage de Quinta'" obtidos a partir de uvas provenientes apenas da quinta que lhe dá o nome. 

Tr
atando-se de vinhos que podem ser consumidos nos anos seguintes ao engarrafamento, devem, no entanto, prosseguir o envelhecimento em garrafa. Com o tempo, o vinho apresenta um depósito. É por isto que deve ser decantado antes de ser servido. No início do seu envelhecimento em garrafa, a cor retinta é intensa e os aromas são complexos, muito frutados e florais. No sabor, combina características taninosas, adstringentes, com uma invulgar estrutura e persistência. O vinho vai-se alterando em termos de cor, acentuando toda a sua harmonia e complexidade à medida que vai envelhecendo. 

LBV (Late Bottled Vintage) - Este vinho, de grande qualidade, provém unicamente do ano indicado na garrafa. Antes de ser engarrafado, o LBV permanece em madeira 4 a 6 anos, 
tempo de maturação que lhe confere uma maior evolução de cor relativamente ao Vintage. São vinhos de intensa coloração, taninosos, de carácter jovem que no seu "bouquet" denotam uma componente ligeiramente oxidativa que provém do seu envelhecimento inicial em madeira.

 

Tawny com indicação de idade - Os tawnies de "10 anos", "20 anos", "30 anos" e "Mais de 40 anos" constituem lotações de vinhos de diferentes colheitas, envelhecidos em madeira, 
c
uja idade média é a indicada no rótulo. De cor alourada pelo prolongado envelhecimento em madeira, as principais características de um Tawny com indicação de idade são a complexidade de aromas, a frescura, a persistência aromática e o refinamento.



publicado por renovatio às 00:36 | link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 04.07.08

Hoje acaba meu Shiv'á vou sair finalmente pra ver as modas sem ter que ficar olhando por chão e observar as coisas que realmente eu gosto, comer e beber! Preciso de um vinho urgente, já separei uns bons pra me acompanhar nesse final de semana, preciso mesmo me adormecer de alguma forma, os vinhos são sempre meu maior pecado!

 


sinto-me

publicado por renovatio às 23:44 | link do post | comentar | favorito

Sábado, 21.06.08

Estava eu sentado esperando o vôo atrasado e viajava por entre blogs, lia os textos e pensava de como nos tornamos íntimos de pessoas que não conhecemos, não fisicamente, mas conhecemos as suas dores, suas revoltas, lemos seus textos e poesias.

Ficamos felizes ao ver que ao menos um foi feliz e expressou isso em seu blog, sabemos o livro que estão lendo, de suas musicas preferidas, e construímos uma intimidade silenciosa, como se estivéssemos espiando, espionando a vida de alguém que mal sabemos o rosto, não conhecemos a sua fala, seu andar. Mas estamos ali atentos, e sendo vigiado da mesma forma.

 

Vez por outra tomamos emprestada parte de seus textos, poesias que nos tocam, imagens que pode nos pode ser útil em publicações próprias, será que ficam chateados com esses pequenos empréstimos? Incomoda? Ou pelo contrario se sentem felizes ao ver que alguém gostou e divulga seu trabalho?

 

As vezes me pego sorrindo pelo mesmo motivo que outro riu mas em tempos diferentes, como se a cena pudesse ser refeita, como se existisse um tempo paralelo, um tempo exclusivo aos leitores de blogs, o mesmo acontece com as tristezas as vezes as pego pra mim e as faço minhas propriedades! Mas sigo Assis lendo, assistindo e analisando a vida pelas lentes de outras pessoas. Modifico meus pontos de vista de acordo com analises de outros, gero discussões  internas provocadas pelos meus íntimos, distantes e desconhecidos amigos de blog.

 

O mais engraçado que me utilizo de um blog pra analisar outros blog, e falar o que eu sinto, afinal são tempos modernos, temos mais que divulgar o que pensamos, talvez seja ate uma forma de imortalidade, se eu morrer meu blog continuará?

 

Beijos aos que me são queridos e os desconhecidos também!

 

Mais um poema da Cecília Meireles que me cativou, retirado do seu livro Viagem

 

Criança

 

Cabecinha boa de menino triste,

De menino triste que sofre sozinho,

Que sozinho sofre, – e resiste.

 

Cabecinha boa de menino ausente,

Que de sofrer tanto se fez pensativo,

E não sabe mais o que sente...

 

Cabecinha boa de menino mudo

Que não teve nada, que não pediu

Nada,

Pelo medo de perder tudo.

 

Cabecinha boa de menino santo

Que do alto se inclina sobre a água do

Mundo  para mirar seu desencanto.

 

Para ver passar numa onda lenta e fria

A estrela perdida da felicidade

Que soube que não possuiria.

 


sinto-me
música Next to you - Bebel Gilberto

publicado por renovatio às 04:08 | link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 17.06.08

 

Sinto a criação de um abismo

Um abismo profundo

A distancia que outrora se faz cada vez mais presente.

 

Desejo que minhas palavras

As que foram jogadas

E as que foram guardadas

Criem raízes e floresçam.

 

“Ou apagar num sopro este dilema”?

O que esse silencio quer dizer?



publicado por renovatio às 22:25 | link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 13.06.08

E-mail que carla me mandou, isso lá é e-mail que se receba? so a carla mesmo, ela deve saber bem como é ter um canceriano em casa.....

 

Câncer é chorão.
Câncer se magoa com facilidade.
Câncer é manipulador.
Câncer sempre tem dinheiro escondido.
Câncer é um signo da água, regido pela lua e é um signo feminino. Ligado a familia ,a valores tradicionais e ao romantismo.
Resumindo:Uma caretice só.
Câncer fica magoado com qualquer bobagem e fica remoendo esta bobagem e um dia, do nada, no meio de uma feijoada com amigos solta o verbo: -Aquele dia você não me ofereceu pastel.Você é egoísta,não pensa nos outros.
E você fica ali pasmado,tentando entender aquilo.
Câncer é o mestre em soltar aquela frase: -Depois de tudo o que eu fiz por você...
E você ficará com o peso na consciência , se sentindo um personagem do filme 'O Albergue'.
Mas é exatamente aí que reside a força do canceriano. A força da manipulação.
Com este jeito de coitado, de calado de 'na dele', ele consegue empregos, amigos, amantes e vai acumulando conquistas.
Câncer adora acumular, guardar, colecionar.
Sempre tem um dinheiro guardado, um dinheiro que ningúem sabe que ele tem.
E Câncer é pão duro.
Mas também é muito dedicado a familia.
È sempre aquele filho que vai á feira com a mãe, é sempre a menina que limpa a casa ,é sempre o enteado que vai ao Bradesco para a madrasta.
È aquele signo que te deixa dormindo sozinha no motel porque 'não posso dormir fora de casa.'
Câncer adora namorar e é bom que o faça, porque câncer sem namoro firme é farra na certa.
O lado B do canceriano é quase um 'lado c', colega.
Adoram bordéis, saunas e estes lugares modernos tipo...frequentados por casais.
Mas namorando são romanticos, protetores e sensíveis.
E cuidado com o olhar de peixe morto deles, seduz todo mundo.
Adoram ficar em casa e se possivel ,teriam a balada delivery, de tanto que gostam de ficar em casa de moleton,arrastando os chinelos.
È também aquela pessoa insuportável que demora meia hora no banho e quando sai...dá lhe vapor.
A mulherada canceriana é delicada, feminina e tem aquele ar maternal. Sempre comanda a família, e consegue 'arrancar dinheiro do marido', e com as futricas certas, sobem rápido na empresa.
Aliás trabalham muito e bem e são astutas. Cancerianas sempre sobem de cargo.
E são meninas para namorar.
E se fossem prostitutas, seria por pouco tempo. Nasceram é para a cafetinagem. Rsrsrsrsrsrrsrsrrs.
Homens famosos de câncer: Tom Cruise ,Tom Hanks, Harrison Ford, George Michael ,e o seu contador.
Mulheres famosas de cãncer : Giselel Bundchen,Liv tyler ,Pamela Anderson, Meryl Streep,Courtney Love , Cindy Lauper,Missy Elliot e sua tia solteirona.
Marcas e grifes que 'ornam 'com este signo: Internacionais: Oscar de La Renta , Prada, Blumarine ,Missoni ,Max Mara ,Hermes, Lanvin,Gap ,Banana Republic e Zara.(estas três ultimas porque tem roupas de 'ficar em casa').
E no Brasil: Ricardo Almeida , Marie Toscano, Walter Rodrigues,Iodice ,Reinaldo Lourenço Mash(cuecas) ,Duloren ,A Mulher do Padre e muito brechó.


sinto-me
música Por quase um segundo - Cazuza

publicado por renovatio às 02:21 | link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Quarta-feira, 11.06.08

 

Hoje recebi um telefonema de uma amiga jornalista me convidando pra ir a um lugar com ela, perguntei onde, mas ela disse que seria uma surpresa, desconfiei logo, mas resolvi aceitar o convite, ela perguntou onde eu estava, disse que estava no museu e ela toda segura de si disse “- te pego ai em 15 minutos”, claro que não acreditei, os cariocas tem uma péssima mania de se atrasar, ela chegou depois de 1h....

 

Curioso que sou fiquei perguntando a ela onde estava me levando, e claro que não deu nem uma pista, dizendo que eu ia gostar, pensei em muitas coisas que eu gostaria de ver naquela tarde, pensem em uma pessoa, mas logo lembrei que seria impossível, já que eles não se conheciam e eu não teria tanta sorte assim. Chegando ao lugar, eu vi uma coisa escrita “Fashion Rio”, olhei imediatamente pra cara dela com um leve desespero nos olhos, ela calma que só me disse “tem que se acostumar a esses eventos, concorda?”, não quis concordar com ela, simplesmente olhei pra minha roupa e retornei o olhar pra ela, ela riu e com um ar que ainda não sei se era irônico, gozação ou sincero disse na minha cara “você esta ótimo”, como estaria ótimo no covil das cobras vestido de jeans surrado, all star com 5 camadas de sujeira e uma camisa azul do live earth com a estampa do símbolo de reciclagem? E ela superbem vestida com uma roupa preta linda... Claro que ela não teria problemas, já eu não sei se teria muita sorte...

 

Estacionamos o carro e eu sem a mínima vontade de sair de lá, com certeza essa era uma péssima surpresa. Respirei e sai, pensei no conselho da ministra “relaxa e goza”. Ainda tínhamos de ficar perambulando por ai? Nossa queria só um cantinho pra me esconder, ou um buraco pra enfiar a minha cabeça, invejei as avestruzes, todos me olhavam por algum motivo, mas seguia repetindo pra mim mesmo “sou invisível, sou invisível, sou invisível...” mas não estava funcionando, ela notou o meu desespero e me deu a mão num gesto de compaixão e solidariedade, mas isso não mudou o fato de querer esganar a infeliz, tínhamos que procurar um cara com um nome super complicado, não era de origem latina o sobrenome do infeliz, germânico talvez, imaginei uma pessoa completamente diferente e eis que surge na nossa frente o tal fulano, com uma cara de baiano, tive vontade de rir, mas me controlei. Ele imediatamente olhou pra ela, se cumprimentaram e ela nos apresentou, ele imediatamente olhou pra minha blusa e disse adoro esse tom de verde, putz jurava que era azul, mas fiquei calado.

 

Ele gentilmente nos conduziu, ou melhor, a conduziu, finalmente tinha me tornado invisível, aos nossos lugares na segunda fila de cadeiras MEGA DESCONFORTAVEIS dessas que a gente fica com dor na bunda de tanto ficar sentado... ficaram conversando um tempo ate que resolveu ir embora... E tive a oportunidade de falar pra ela o que eu estava sentindo “eu quero te matar, me lembra disso depois”. Começou o desfile, umas roupas super estranhas, pra mim eram uns farrapos, não entendia muito, olhava pros lados e as pessoas com expressões de aprovação, acho que só eu que estava achando estranho aquilo tudo. Os cabelos eram demais, todos pra cima, acho que tinha algum fio desencapado no inicio da passarela que dava choque no povo antes de entrar. E eu com meu sentimento de pena com as mulheres que passavam, nossa tão magras! Tinha vontade de levar um lanchinho pra elas depois, mas lembre que isso era chique, fiquei quieto assistindo a tudo me contorcendo na cadeira desconfortável. As modelos passavam na passarela com caras e bocas, com aquele andar típico e engraçado, e eu só conseguia me lembrar do Astrogildo, que era um esqueleto de plástico que ficava no laboratório de anatomia nos meus tempos de graduação. Seriam elas da mesma família do Astrogildo?

 

Terminado o desfile, achei finalmente que iríamos embora, já tinha sido torturado demais, mas pra minha surpresa tinha mais, fomos convidados pra um café e conversas, ou melhor, ela foi, o gremano-baiano não olhava na minha cara, melhor assim, afinal se ele achava que ser fino era toma chardonnay e ser mal educado com as pessoas, quem seria eu pra descordar, preferia ser invisível, e seguimos ao café. Conversa vai e conversa vem entre eles e eu quase tendo uma over-dose de café, percebi que as pessoas que estavam vestidas quase iguais a mim eram os trabalhadores do lugar, que levavam roupas pra cima e pra baixo, daí entendi o tratamento que eu recebia do baiano metido a europeu, tadinho dele, resolvi não questionar. O baiano tinha um péssimo habito de misturar vocábulos da língua inglesa em frases em português, nossa acho isso uma fala de respeito a língua, mas... E finalmente o baiano dirigiu a palavra a mim, perguntando se eu era ESTAGIARIO da Fernanda, mas nem liguei...eu tava realmente não dando importância a ele, só queria ir embora.

 

Fui indelicado e resolvi dizer que eu precisava ir embora, pra ver a reação da infeliz da minha amiga que estava entrevistando o baiano, ela disse que já estava terminando. Resolvi comer uma coisinha, tava morrendo de fome, tudo muito simples e caro, uma saladinha sem muitas frescuras custavam 30 reais, credo, quase morri ao ver esse preço, mas era o preço que tinha que pagar pela tortura e lembrei que o mercado da moda movimenta milhares de dólares por estação e que os bistrôs do lugar deviam faturar o mesmo volume de dinheiro, já que cobravam por uma micro salada 30 reais.

 

Decididamente não queria ficar mais ali, queria minha casa, meu chinelo, minha cama, e sair daquele mundo deprimente, claro que meu amor era melhor que todos ali, mais inteligente, gentil e simpático, mais mundo da moda não é pra mim decididamente, quando ouvi dizer que iríamos assistir mais um desfile, quase falei Caralho eu quero ir embora, mas fui... Depois de mais uma hora de bunda doida a coisa acabou, mas esse menos maluco que o anterior, roupas masculinas legais...

 

Antes que ouvisse mais um convite pra um café disse que precisava ir embora, tinha que terminar de preparar provas, e o baiano disse: “a paciência e a maior virtude humana” depois ainda citou o autor da frase Shakspeare em Macbeth, putz tadinho a frase não era assim, e ele conhecia Shakspeare?, mas só me deu vontade de responder com essa “vai tomar no cu” Nelson Rodrigues em A vida como ela é, mas fiquei calado... Peguei um táxi e voltei pra casa!

 

Mas ainda quero matar a Fernanda!

Amanha eu vou ler a entrevista do baiano no jornal, acho que ele é famoso, não sei, pra mim pouco importa...

 

P.S: amor promete pra mim que não irá me torturar dessa maneira?


sinto-me
música nada

publicado por renovatio às 02:34 | link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 09.06.08

 

Insônia que não me deixa em paz...

Não sei não consigo dormir porque estou triste ou estou triste porque não consigo dormir...

Precisava de uma conversa de cinco minutos com alguém, mas quem? O ruim de se ter uma insônia crônica é que você nunca pode ligar pras pessoas pra conversar no meio da madrugada.

As épocas de sonos e sonequinhas acho que chegaram ao fim, é eu realmente tava adorando dormir a noite toda, sentir sono, quer dizer sono e cansaço eu sinto mas por algum desvio de fluxo neuronal eu não consigo dormir....

Preciso marcar hora na clinica do sono novamente....

 

Me senti tão triste esse final de semana que quero esquecer que ele existiu, precisava só de poucos minutos de conversas...

 

Amanha, ou melhor daqui a pouco é um novo dia.... recomeça tudo, aulas, pesquisa, desenvolver coisas, escrever, desenhar... quero estão melhor amanha...


sinto-me estressado

publicado por renovatio às 05:36 | link do post | comentar | favorito

posts recentes

Perdi meu remoto controle

Hold your breath and coun...

We Just Don't Care

Escolhido meus companheir...

Shiv'á

A intimidades sem rosto.

No canto dos olhos a cons...

Cancer

Gelo ou branco? Azul ou v...

So cinco minutos... nada ...

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds