Terça-feira, 24 de Junho de 2008

Um sentimento muito estranho me invade, uma inquietude, uma dor de alma, que as vezes se reflete em meu corpo, não sei dessa dor, pra onde vai, de onde veio, só penso que é uma dor que inquieta, que sangra, mas não o meu sangue, é como se essa dor não fosse minha. Me sinto pequeno, sem forças, como se quisesse me mexer e não conseguisse. Eu ando tão estranho que nem consigo me expressar, as palavras fogem, não se conversam não se completam, talvez não seja nada disso que queria contar.

 

Essa dor não é minha tenho certeza, mas como estou sentindo ela tão presente, tão dentro de mim? Fernando Pessoa tinha razão “não nas duas que ele teve, mas só a que não teve”, pode ser isso!

 

Mas um dia sem dormir, sem o sono, isso me destrói, acaba comigo!

 

Me encontro no leito

Do feito

Sem jeito

Quero sair

Mas a porta esta fechada

E a chave encontra-se

Perdida nas profundezas

Dos mares que carrego

Em mim.

 

Na dança dos

Erros, nunca os deixo

Sempre dentro de mim

Quero ser fora

Mas tudo se fora.

 

O momento se fez passado

e tudo que eu vejo

é passado, passado por mim

que eu nem vi.



publicado por renovatio às 05:29 | link do post | comentar | favorito

posts recentes

Alvorada

Perdi meu remoto controle

For Sale!

Quem?

Chá, teorias e filmes

Nuvens....

Trechos!

My life for rent!

Estudos de Semiótica Comp...

Take my hand

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds