Terça-feira, 26.05.09

"A memória em si não é nada. Não é bonita nem feia, nem útil nem inútil. Ia a dizer que era o que se quiser, mas nem isso. É uma maneira de dar sentido ao que se vive. É uma coisa que fazemos. Em nome do que trazemos na alma, e por causa do amor, faz sentido fazê-la o melhor que podemos. Agora há alguém que seja capaz de me explicar porque é que eu não sou capaz de me lembrar da cara do meu Amor? A memória é uma coisa que não lembra ao diabo."

 

in Miguel Esteves Cardoso, "A Aventura da Memória"



publicado por renovatio às 05:33 | link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 16.07.08

Depois de um dia relativamente ruim, acordei assustado, com um sonho muito ruim! Queria tanto um colo quente onde eu possa desaguar meu pranto, meu desengano, queria saber que esta tudo bem, queria ouvir “calma foi só um sonho”, e um carinho calmo a me acalmar as dores da alma, do sobressalto do coração.

Mas estou sozinho na noite escura e silenciosa, olho a lua solitária no céu negro dessa noite incomum, meus pensamentos sempre saem em busca dos teus, uma coisa que me ancore, que me faça prosseguir.

                        

Não me deixe aqui

Sozinho

Perdido

Escondido

Estenda a mão

Me salve

Não posso mais sozinho

 

Preciso do seu beijo

Amor calmo

Ardente

Quente

Que me desnorteia

Me zoneia

 

Me salva

De mim

Por mim

Deita sobre mim

Me cura

Cuida

Faz passar!



publicado por renovatio às 03:06 | link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 07.07.08

Que me deixe dizer-te

Que os meus lábios apenas reconhecem o teu sabor,

Que as minhas mãos estranham outro corpo que não o teu,

Que o meu desejo não sobrevive sem ti…

Há quanto tempo estamos juntos? Não sei…

O que sinto por ti não se constrói em tempo finito e mensurável.

Só posso estar contigo desde sempre…

E sempre que ouço gritar que não posso ficar contigo,

Destruo os impossíveis e…

Espero,

Espero sempre…

 


sinto-me

publicado por renovatio às 05:56 | link do post | comentar | favorito

Sábado, 05.07.08

Só o vinho produzido na Região Demarcada do Douro, respeitando normas de produção e envelhecimento rigorosamente controladas, pode utilizar a denominação "Vinho do Porto". 

Durante o seu processo de envelhecimento, o vinho é submetido a provas de controlo de qualidade, quer analítica quer sensorial, efectuadas pelos Laboratórios e Câmara de Provadores do Instituto do Vinho do Porto, um dos organismos públicos mais antigos e prestigiados de Portugal. Esta entidade tem como principal missão o controlo oficial e a defesa do prestígio do Vinho do Porto bem como a sua promoção a nível mundial. Apenas os vinhos que cumprem os exigentes critérios de qualidade estabelecidos têm o direito de usar o selo de garantia emitido pelo Instituto do Vinho do Porto.

 

Vinhos do Porto com Data de Colheita 
Neste grupo distinguem-se os Vinhos do Porto que são envelhecidos em madeira dos que, após um estágio relativamente curto em casco, prosseguem o envelhecimento em garrafa. 

Vintage
- O Vintage é uma preciosidade. Depois de permanecer dois anos em contacto com a madeira, prossegue o seu lento envelhecimento em garrafa ao abrigo do ar e da luz. Pouco a 
pouco, o vinho melhora consideravelmente as suas características, desenvolvendo o seu "bouquet". O rótulo, além de indicar a data de colheita, tem que referir o ano do engarrafamento. Nesta categoria incluem-se os chamados "Vintage de Quinta'" obtidos a partir de uvas provenientes apenas da quinta que lhe dá o nome. 

Tr
atando-se de vinhos que podem ser consumidos nos anos seguintes ao engarrafamento, devem, no entanto, prosseguir o envelhecimento em garrafa. Com o tempo, o vinho apresenta um depósito. É por isto que deve ser decantado antes de ser servido. No início do seu envelhecimento em garrafa, a cor retinta é intensa e os aromas são complexos, muito frutados e florais. No sabor, combina características taninosas, adstringentes, com uma invulgar estrutura e persistência. O vinho vai-se alterando em termos de cor, acentuando toda a sua harmonia e complexidade à medida que vai envelhecendo. 

LBV (Late Bottled Vintage) - Este vinho, de grande qualidade, provém unicamente do ano indicado na garrafa. Antes de ser engarrafado, o LBV permanece em madeira 4 a 6 anos, 
tempo de maturação que lhe confere uma maior evolução de cor relativamente ao Vintage. São vinhos de intensa coloração, taninosos, de carácter jovem que no seu "bouquet" denotam uma componente ligeiramente oxidativa que provém do seu envelhecimento inicial em madeira.

 

Tawny com indicação de idade - Os tawnies de "10 anos", "20 anos", "30 anos" e "Mais de 40 anos" constituem lotações de vinhos de diferentes colheitas, envelhecidos em madeira, 
c
uja idade média é a indicada no rótulo. De cor alourada pelo prolongado envelhecimento em madeira, as principais características de um Tawny com indicação de idade são a complexidade de aromas, a frescura, a persistência aromática e o refinamento.



publicado por renovatio às 00:36 | link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 04.07.08

Edgar e Ellen são dois irmãos gêmeos de 12 anos, que vivem numa mansão sozinhos com 

 

sua mascote (que parece o cabelo da mãe do Ian de Se Liga Ian, virado pra baixo), eles vivem pregando peças nos outros (como uma vez em que eles colocaram insetos no chile do prefeito), enfim esses irmão se metem em muitas confusões.

 

É mais um desenho que sigo assistindo e não perdendo nenhum epsiodio!

 



publicado por renovatio às 03:04 | link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 24.06.08

Um sentimento muito estranho me invade, uma inquietude, uma dor de alma, que as vezes se reflete em meu corpo, não sei dessa dor, pra onde vai, de onde veio, só penso que é uma dor que inquieta, que sangra, mas não o meu sangue, é como se essa dor não fosse minha. Me sinto pequeno, sem forças, como se quisesse me mexer e não conseguisse. Eu ando tão estranho que nem consigo me expressar, as palavras fogem, não se conversam não se completam, talvez não seja nada disso que queria contar.

 

Essa dor não é minha tenho certeza, mas como estou sentindo ela tão presente, tão dentro de mim? Fernando Pessoa tinha razão “não nas duas que ele teve, mas só a que não teve”, pode ser isso!

 

Mas um dia sem dormir, sem o sono, isso me destrói, acaba comigo!

 

Me encontro no leito

Do feito

Sem jeito

Quero sair

Mas a porta esta fechada

E a chave encontra-se

Perdida nas profundezas

Dos mares que carrego

Em mim.

 

Na dança dos

Erros, nunca os deixo

Sempre dentro de mim

Quero ser fora

Mas tudo se fora.

 

O momento se fez passado

e tudo que eu vejo

é passado, passado por mim

que eu nem vi.



publicado por renovatio às 05:29 | link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 20.06.08

Pesquisando coisas que gostaria de ler mais ainda não li, encontrei varias coisas legais, todas de graça e em formato digital.

Mas sabe ando sentindo falta do cheiro do papel, do roçar das paginas, da textura. Ate quando existirá os livros tal qual conhecemos? Difícil pergunta! Mas espero que exista por longos períodos, mas eu ando me rendendo ao formado e-book, talvez por poder responder e-mails, ler blogs, e fazer tudo ao mesmo tempo, no tempo que não existe mais.

 

Pequena lista de coisas que sigo lendo.

1) Discurso preliminar sobre o espírito positivo - Augusto Comte

2) Discurso sobre as ciências e as artes - Jean-Jacques Rousseau

3) Investigação acerca do entendimento humano - David Hume

4) A filisofia entre religião e ciência - Bertrand Russell

5) A ordem do discurso - Michel Foucault

6) Arte poética - Aristóteles

7) Viagem - Cecília Meireles

 

Hoje eu estava lendo o livro Viagem esse poema me chamou bastante atenção, e somado a imagem acima fica perfeito...

 

Discurso

 

E aqui estou, cantando.

 

Um poeta é sempre irmão do vento e da água:

Deixa seu ritmo por onde passa.

 

Venho de longe e vou para longe:

Mas procurei pelo chão os sinais do

Meu caminho

E não vi nada, porque as ervas

Cresceram e as serpentes andaram.

 

Também procurei no céu a indicação de

Uma trajectória,

Mas houve sempre muitas nuvens.

E suicidaram-se as operários de Babel.

 

Pois aqui estou, cantando.

 

Se eu nem sei onde estou,

Como posso esperar que algum ouvido me escute?

 

Ah! Se eu nem sei quem sou,

Como posso esperar que venha alguém gostar de mim?


sinto-me

publicado por renovatio às 03:58 | link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 19.06.08

Tenho saudades do tempo em que iluminavas as minhas noites. Quando voltas? Em Setembro?


sinto-me estranho

publicado por renovatio às 02:55 | link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 18.06.08

deito-me à sombra das tuas pernas
e o corpo arde em todos os movimentos
que não ousaste prolongar
na toalha branca da minha pele

deste lado a dor
é completamente minha
e por assim dizer inútil

era capaz de jurar
que nem me viste

Alice Vieira
*Foto: Cartier-Bresson



publicado por renovatio às 04:56 | link do post | comentar | favorito


Imerso na escuridão

Pareço boiar

Diante da luz

Sou consumido

Ao inevitável abrigo do pó

No fim é o que resta


sinto-me Contemplativo
música Here is gone - Goo Goo Dolls

publicado por renovatio às 02:01 | link do post | comentar | favorito

posts recentes

Perdi meu remoto controle

Não me deixe aqui

Sempre

Escolhido meus companheir...

Edgar e Ellen

So das que eu nao tive

Livros, delicias, lembran...

Ando perdido sem ti!

...

Inicio e fim

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds